Prevenção do Câncer de Mama

As principais medidas de prevenção do Câncer de Mama consiste em:

Combate da Obesidade

Paciente obesos apresentam altos níveis hormonais, mesmo na menopausa. A gordura é uma importante produtora de hormônios sexuais femininos, como o estrógeno.

O estrógeno ativa as células do câncer de mama do tipo Luminal (que são tumores hormônios sensíveis).

A perda de peso, reduz os níveis de estrógeno, e, consequentemente reduz a proliferação das células cancerígenas.

Acompanhamento Médico

Medida importante para a prevenção ao câncer de mama é fazer o acompanhamento médico para observar a saúde das mama através do exame clínico periódico e também para a realização de mamografia anual (a partir dos 40 anos de idade).

Se houver casos de câncer de mama na família, é fundamental procurar um especialista para que ele defina se é necessário fazer um acompanhamento mais cedo (em geral inicia-se 10 anos antes do caso mais jovem de câncer de mama na família)

Por meio da prevenção secundária do câncer de mama, podemos identificar casos precoces e reduzir os números de mortes, afinal, essa é uma doença agressiva.

Amamentação

O aleitamento materno é a primeira ação de alimentação saudável. A amamentação até os dois anos ou mais, sendo exclusiva até os seis meses de vida da criança, protege as mães contra o câncer de mama e as crianças contra a obesidade infantil. A partir de seis meses da criança, deve-se complementar a amamentação conforme a dica sobre Alimentação saudável e proteção contra o câncer.

Exames preventivos para o Câncer de mama

A mamografia é o principal exame preventivo para câncer de mama. Outras exames que podem ser utilizados neste cenário são a ultrassonografia mamária (USM) e a ressonância magnéticas das mamas (RMM). Vale ressaltar que a utilização tanto da USM quanto da RMM é para casos bem específicos conforme indicação médica.

Aqui é extremamente importante entender a terminologia médica e vale uma breve introdução sobre os conceitos de prevenção primária e prevenção secundária.

Saiba mais

Coma de forma saudável

Adote uma dieta rica em vegetais e frutas e pobre em bebidas com açúcar,  carboidratos refinados e alimentos gordurosos. Coma proteína magra, peixe ou peito de frango, e carne vermelha com moderação. Procure comer cereais integrais e prefira óleos vegetais sobre gorduras animais.

Pílulas Anticoncepcional

Ainda não há certeza da associação do uso de pílulas anticoncepcionais com o aumento do risco para o câncer de mama. Podem estar mais predispostas a ter Câncer de Mama mulheres que usaram contraceptivos orais de dosagens elevadas de estrogênio (hábito comum no passado), que fizeram uso da medicação por longo período e as que usaram anticoncepcional em idade precoce, antes da primeira gravidez. Mas ainda hoje é um assunto controverso no meio médico e certamente com risco muito baixo com os anticoncepcionais de baixa dosagem que são utilizados modernamente

Terapia de reposição hormonal.

A terapia de reposição hormonal (TRH) aumenta o risco de câncer de mama, esse risco é diretamente relacionado à dose de hormônio ingerido e ao tempo de uso.

Essa TRH no passado era realizado a base de altas dose de hormônios. Atualmente, com novos medicamentos, consegue-se ótimos resultados e com dose menores.

A TRH aumenta o risco de câncer de mama, mas melhora a qualidade de vida. Neste sentido a arte da medicina vai ser identificar o ponto de equilíbrio entre ofertar o menor risco possível com a melhora da qualidade de vida para aquelas mulheres que tem muitos sintomas de baixa hormonal como redução da libido, ondas de calor, irritabilidade e dor nas relações sexuais,

“Hormônios bioidênticos” não são mais seguros do que os hormônios convencionais e também devem ser evitados.

Procure orientação médica e faça controle rigoroso caso esteja utilizando algum tipo de reposição hormonal.

Prevenção começa com informação.

Agende sua consulta