Tipos de próteses mamárias

Tipos de próteses mamárias

As próteses mamárias podem ser classificadas referente ao material de preenchimento, referente ao tipo de texturização, referente a forma e ainda referente a projeção.

  • Classificação referente ao material de preenchimento:

Os principais materiais de revestimento são:

  • Silicone: as próteses são preenchidas por um gel coesivo de silicone (gel semissólido). Consiste no material mais utilizada atualmente.
    • Vantagem: aspecto táctil agradável (se assemelhando ao tecido natural da mama), menor risco de contratura capsular, vida útil mais longa, menor índice de deformação no formato da mama e em caso de rotura a mama mantém com seu formato por mais tempo.
    • Desvantagem: incisão um pouco maior que a da prótese salina, em caso de rotura o silicone pode vazar para a mama (algo pouco frequente com as próteses modernas de gel coesivo), maior custo.
  • Salina: se assemelham a um balão preenchido com soro fisiológico. Apresentam aspecto líquido.
    • Vantagem: cicatriz menor pois é mais fácil introduzir, menor custo
    • Desvantagens: risco de alteração do formato da mama, em caso de ruptura apresenta rápida perda de volume, mais risco de contratura capsular, sensação tátil desagradável, vida útil mais curta, menores cicatrizes.

tipo de preenchimento de protese mamaria

  • Mistas: consiste nas próteses expansoras, ou seja, são próteses que tem uma grossa camada externa de silicone (variando de 25 a 50% do volume do implante) associada a uma cavidade central conectada a uma válvula por um cateter. O restante do volume é preenchido por soro fisiológico no pós-operatório no consultório do médico através da válvula. Tem seu uso muito mais frequente na cirurgia reconstrutora mamária.
    • Vantagem: tem a grande vantagem de o volume poder ser regulável (até um certo limite) no consultório médico através da introdução (ou remoção) de soro fisiológico. Isso permite a paciente ajudar ativamente o médico no ajuste final.
    • Desvantagem: Apresenta custo elevado e menor vida útil. A válvula pode causar incomodo e precisar ser retirada após o volume ideal tiver sido alcançado.

Protese expansora de mama

  • Classificação referente à texturização (ou superfície):

Texturização consiste no revestimento externo da prótese que fica diretamente em contato com a mama. O tipo de revestimento determinará várias interações do corpo humano com a prótese. A prótese do ponto de vista biológico, consiste em um corpo estranho para nosso organismo e irá desencadear o processo de formação de cápsula ao redor da prótese. O principal problema referente a texturização vai consistir no encapsulamento da prótese (sensação de endurecimento). A este processo chamamos de contratura capsular. A contratura capsular é uma queixa relativamente frequente das pacientes e um dos principais fatores que demanda outras cirurgias para correção deste problema.

Tipo de texturizacao de Protese expansora de mama

  • Superfície lisa: Caracteriza-se por apresentar pouca aderência ao tecido mamário. Pouco utilizada no Brasil.
    • Vantagem: menor risco de Linfoma Anaplásico de Grandes Células Associado a Prótese Mamária (LAGC-APM).
    • Desvantagem: Maior risco de deslocamento e maior risco de contratura capsular (> 10%)
  • Superfície texturizada: Apresenta superfície rugosa. Este tipo de revestimento foi criado para reduzir o risco de contratura capsular. Se subdividem em: nanotexturizadas: exemplo – marca Motiva®; microtexturizadas: exemplo – marca Mentor®, macrotexturizadas: exemplo – marca Allergan®
    • Vantagens: menor risco de deslocamento ou rotação, menor risco de contratura capsular (5-10%).
    • Desvantagem: “maior risco” de Linfoma Anaplásico de Grandes Células Associado a Prótese Mamária (LAGC-APM).
  • Superfície de Poliuretano: consiste em um revestimento especial das próteses de silicone lisa através de um processo de vulcanização com a espuma de poliuretano. A prótese adquire uma característica de ter uma superfície muito rugosa e aveludada o que proporciona elevada adesividade (efeito velcro) ao tecido mamário e aos tecidos adjacentes, intensa resposta celular do organismo frente a sua presença como corpo estranho, e de forma curiosa, pouca formação de cápsula ao redor do implante.
    • Vantagens: Baixo índice de contratura (1% em 10 anos), menor chance de seroma, menor risco de deslocamento ou rotação, menor índice de queda da mama (ptose).
    • Desvantagem: Necessita algumas vezes de maiores incisões para permitir a adequada introdução e melhor posicionamento da prótese
  • Classificação referente ao formato:
    • Redonda: Preenche de forma uniforme a mama aumentando tanto o polo superior (deixando o colo mais preenchido) quanto o polo inferior. Geralmente utilizada nas cirurgias estéticas para aumento da mama.
    • Anatômica: também conhecida como prótese em gota. Proporciona aumento das mamas com menor preenchimento do colo. O aumento do volume das mamas se dá primordialmente pelo aumento da parte inferior da mama. Tem sua grande indicação para as pacientes que removeram a mama (mastectomia). Sendo frequentemente utilizada para reconstrução mamária em caso de mastectomia unilateral para tentar se equiparar à mama contralateral (mama natural).

Formato de prótese mamária

  • Classificação referente à projeção:

A projeção também é chamada de altura. A projeção/altura mede o afastamento anteroposterior da prótese em relação à parede torácica.

    • Extra alta:
    • Alta
    • Moderada
    • Baixa

Projeção de prótese mamária

Assim, podemos falar que a paciente utiliza uma prótese mamária de silicone, de superfície texturizada, de perfil anatômico e de alta projeção.

Gostou da matéria? Visite nossa página no FacebookInstagram e em nosso Site e confira todas as nossas postagens.