Quais são os tipos de câncer de mama?

O câncer de mama consiste em um conjunto de vários tipos e subtipos de tumores que são diferentes entre si em agressividade e no tipo de tratamento.

As principais divisões do câncer de mama contemplam:

A – Classificação baseada na capacidade de invadir os vasos sanguíneos e linfáticos e produzir metástase.

Neste quesito teremos dois tipos principais e seus subtipos:

1 – Carcinoma In Situ – Tipo de tumor que não tem a capacidade de desenvolver metástase. O tratamento envolve cirurgia oncológica podendo ser complementada com radioterapia. No tratamento do carcinoma in situ não há necessidade de quimioterapia. Seu subtipo principal tipo é o carcinoma ductal in situ.

2 – Carcinoma Invasivo – Tipo de tumor que tem a capacidade de desenvolver metástase para outros órgãos. Esta capacidade depende primordialmente do tamanho do tumor e da agressividade do mesmo. O tratamento também é primordialmente cirúrgico através de cirurgia oncológica podendo ser complementado com quimioterapia e radioterapia a depender do estadiamento final e da agressividade do tumor. Os principais subtipos são:

  • Carcinoma Ductal Invasivo ou mais modernamente chamado de Carcinoma Invasivo tipo não especial
  • Carcinoma Lobular Invasivo
  • Carcinoma Medular
  • Carcinoma Tubular

B – Classificação baseada no imunofenótipo

A avaliação anatomopatológica dos tumores de mama é sempre complementada pela realização de imunoistoquímica com a definição de 4 marcadores:

  • Receptor Hormonal : que consiste de 2 tipos:
    • Receptor de estrógeno (RE)
    • Receptor de progesterona (RP)
  • HER2: este é expresso em com o sinal de “+”, tendo a seguinte interpretação:
    • 1+ = Negativo
    • 2+ = Inclonclusivo. Neste caso deve ser complementado com um outro exame chamado de FISH ou CISH. Se o FISH/CISH der positivo então o HER2 é considerado positivo. Caso contrário será negativo.
    • 3+ = Positivo
  • Ki 67: resultado expresso em “%” variando de 1 a 100%

De acordo à combinação da interpretação destes 4 marcadores anteriores teremos a seguinte possibilidade de subclassificação dos tumores de mama:

Esta classificação é fundamental para entender o comportamento biológico dos tumores, ou seja, o grau de agressividade do tumor e ajudar a definir as estratégias de tratamento.

Quais os tipos de tratamento medicamentoso para o câncer de mama?

  • Hormonioterapia: consiste em um tratamento feito por via oral que pode durar entre 5 e 10 anos, sua função é inibir os hormônios sexuais femininos (estrógeno e progesterona) de agir sobre as células da mama, ou seja, funcionam como um bloqueador hormonal (poderíamos chamar de “anti-hormonioterapia”). É utilizada para os tumores que tem expressão de receptores de estrógeno ou de progesterona.
  • Quimioterapia: consiste em tratamento realizado pela veia que pode durar de 3 a 6 meses que tem como foco eliminar alguma célula residual de câncer de mama. O problema deste tipo de tratamento é que age tanto nas células malignas quanto nas células normais do corpo podendo apresentar como efeitos colaterais: náuseas, vômitos, diarreia, queda do cabelo dentre outros.
  • Herceptin: é um tratamento conhecido com terapia alvo que é utilizado para os tumores invasivos com superexpressão da proteína HER2 (3+ ou FISH /CISH positivo) em geral quando o tumor tem mais de 6 mm de tamanho. Por ser uma terapia alvo, só age nas células doentes, poupando as células saudáveis, logo, praticamente não tem maiores efeitos colaterais.

A tabela acima é apenas um referencial genérico para o entendimento das opções de tratamento. A definição exata sobre o tipo de tratamento a ser utilizado depender do tipo do tumor, do imunofenótipo, do tamanho do tumor, grau de contaminação (metástase) para os gânglios da axila, da idade e das características clínicas da paciente dentre outros.

Gostou da matéria? Visite nossa página no FacebookInstagram e em nosso Site e confira todas as nossas postagens.