O que significa a classificação BIRADS?

O termo BI-RADS é um acrônimo para Breast Imaging Reporting and Data System, ou seja, é uma sistematização internacional para a avaliação mamária, interpretação e confecção dos laudos de exames de imagem especificamente da mama. É uma padronização mundialmente adotada e em qualquer lugar do mundo qualquer médico especialista nesta área entenderia uma classificação BI-RADS 5, por exemplo.

A classificação BI-RADS é usado apenas para avaliação por exames de imagem da mama?

Sim, esta padronização serve apenas para avaliação mamária. Serve para a interpretação e confecção dos laudos de exames de imagem especificamente da mama. Esta classificação deve ser aplicada nos laudos de mamografia, ultrassonografia mamária e ressonância nuclear magnética das mamas. O uso desta classificação assegura maior confiabilidade ao exame.

Como ela funciona?

O BI-RADS é um manual de padronização que permite analisar as características das lesões mamárias (cistos, nódulos, calcificações) e estimar o risco de ser câncer de mama. A classificação varia de 0 a 6 como demonstrado abaixo

BI-RADS®

Significado

Risco de câncer de mama

Conduta

0

Exame limitado – avaliação incompleta

Não é possível estimar

Necessita de exames adicionais

1

Exame normal

Muito baixo

Controle anual

2

Alterações benignas

Muito baixo

Controle anual

3

Exame provavelmente benigno

2%

Controle semestral por um período de tempo

4

Lesão suspeita para câncer

20%

Necessita realização de biópsia

5

Lesão altamente suspeita para câncer

95%

Necessita realização de biópsia

6

Lesão já com diagnóstico de câncer

100%

Tratamento oncológico

Já aproveitamos a oportunidade para ressaltar que a grande maioria dos nódulos e das microcalcificações mamárias são benignos, ou seja, a presença em si de nódulos ou microcalcificações não quer dizer de forma alguma que o paciente está com câncer de mama.

O médico ao avaliar o exame e as alterações presentes neste exame irá classificar estas alterações dentro dos critérios do BI-RADS e dará uma nota para este exame. Esta nota pode variar de zero a seis.

Os resultados podem regredir ou avançar em exames futuros? O que isso significa?

Sim, os resultados podem modificar ao longo do tempo.

O mais comum é exames normais (nota 1 e 2 ) passarem para notas 3 e 4 de acordo ao envelhecimento da paciente, podendo estar associados a doenças benignas ou malignas da mama. Ou seja, ao longo da vida da mulher algumas alterações podem ocorrer na mama que poderão necessitar de uma conduta mais especifica por parte do médico.

Nota 3 – necessitam de controle semestral por 1 a 2 anos. Se estiverem estáveis neste período poderão ser reclassificadas para BI-RADS 2. A pesar de ter um risco de câncer estimado de 2%, a biópsia não se faz uma necessidade obrigatória, pois a própria biópsia pode trazer problemas e malefícios para a paciente. A conduta mais recomendada neste grupo, conforme recomendação da Sociedade Brasileira de Mastologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica e das demais sociedades médicas mundiais é o controle semestral com um médico especialista pois, ainda que a paciente esteja nestes 2%, neste prazo de 6 meses não teria um prejuízo para saúde da mesma.

Nota 4 – necessitam de biópsia. A biópsia pode ser de agulha fina ou de agulha grossa (core biopsy ou mamotomia) a depender de cada caso. Desta biópsia poderíamos ter as seguintes situações:

  • Laudo benigno – basta apenas controle – terá a sua nota rebaixada para 2.
  • Laudo suspeito (presença de atipia) – poderá ser necessário uma pequena cirurgia para adquirir mais material e descartar de vez a suspeita de câncer
  • Laudo maligno – será necessária uma cirurgia oncológica

Nota 5 – como a suspeita de câncer neste grupo de pacientes é altíssima, necessitam de cirurgia na maioria dos casos. O médico pode até optar por uma biópsia antes da cirurgia, mas esta lesão precisa ser completamente removida cirurgicamente.

Nota 6 – é aplicado nos casos em que já se sabe que é maligno, ou seja, após a paciente já ter uma biopsia com diagnóstico de câncer, e por algum motivo o médico necessitou fazer mais exames mamários adicionais. Estes exames de princípio já terá nota 6 por questão de normatização do manual BI-RADS. Também é de tratamento cirúrgico.

Para os pacientes com suspeita ou com diagnóstico de câncer de mama que após completarem o tratamento ou a adequada avaliação da mama (BI-RADS 4 ou 5) nos próximos exames de controle é esperado que os exames venham com laudos BI-RADS 2 ou 3, denotando que o problema realmente está eliminado.

Ou seja, o BI-RADS tanto pode aumentar, como pode diminuir. É muito dinâmico e pode ter alterações de um exame para o outro.

Os exames de imagem da mama podem ter laudos BI-RADS diferentes?

Sim, os exames de imagem podem ter classificação BI-RADS completamente distintas entre si, por exemplo, a mamografia pode ser nota 2, a ultrassonografia nota 3 e a ressonância mamária nota 4 pois a classificação é aplicada para cada exame de forma independente. O médico toma a conduta de acordo a pior classificação.

Uma outra possibilidade é o BI-RADS 0 (zero), cuja tradução é que o exame detectou alguma coisa, mas não conseguiu esclarecer o problema. Esta classificação não é motivo nem para preocupação e nem para tranquilidade, pois o exame não serviu para se alcançar um diagnóstico preciso. Nesta classificação se faz necessário a realização de exames adicionais.

Gostou da matéria? Visite nossa página no FacebookInstagram e em nosso Site e confira todas as nossas postagens.