O que é estadiamento do câncer de mama?

Estadiamento refere-se à terminologia utilizada para avaliar a carga tumoral (ou extensão da doença) de um paciente e se relaciona ao grau de comprometimento tumoral referente ao órgão específico (T), ao espalhamento para os gânglios (N) e à presença de metástase sistêmicas para ossos, fígado, pulmão e demais órgãos (M) constituindo o sistema TNM de estadiamento do câncer. Este sistema se aplica a praticamente todos os tipos de tumores.

O estadiamento é universalmente conhecido por estas 3 letras mencionadas acima (TNM) e é mundialmente padronizado – todo especialista em qualquer lugar do mundo entende por exemplo esta classificação – T3 N1 M0 para um determinado tumor, neste caso câncer de mama.

O “T” se refere ao tamanho do tumor (do inglês, tumor), o “N” ao grau de comprometimento linfonodal (do inglês, node) e “M” se refere à presença de metástase sistêmicas (do inglês, metastases).

De forma bem simplificada, para câncer de mama o T pode variar de 0 a 4, o N pode variar de 0 a 3 e o M pode variar de 0 a 1.

Desde 2018 o estadiamento do câncer de mama ficou mais complexo pois além do TNM (3 variáveis) foi incorporado dados do comportamento biológico tumoral como:

  • Grau histológico (G): variando de 1 a 3
  • HER2: positivo (superexpresso) ou negativo (não superexpresso)
  • Receptor de estrógeno (RE): positivo ou negativo
  • Receptor de progesterona (RP): positivo ou negativo

Este TNM se agrupa de várias formas para dar origem a 5 grandes grupos de estadiamento:

Neste aspecto de estadiamento do câncer de mama nos tornamos um dos maiores experts do mundo no assunto. Desenvolvemos um aplicativo denominado 𝗧𝗡𝗠𝟴 𝗕𝗿𝗲𝗮𝘀𝘁 𝗖𝗮𝗻𝗰𝗲𝗿 𝗖𝗮𝗹𝗰𝘂𝗹𝗮𝘁𝗼𝗿 para ajudar os médicos em todo o mundo neste processo de estadiamento. Este nosso aplicativo se tornou uma referência global no processo de estadiamento do câncer de mama sendo utilizado nas principais universidades americanas inclusive. 𝐎 𝐚𝐩𝐥𝐢𝐜𝐚𝐭𝐢𝐯𝐨 𝐟𝐨𝐢 𝐝𝐞𝐬𝐞𝐧𝐯𝐨𝐥𝐯𝐢𝐝𝐨 𝐞𝐦 𝐩𝐨𝐫𝐭𝐮𝐠𝐮ê𝐬 𝐞 𝐞𝐦 𝐢𝐧𝐠𝐥ê𝐬 𝐞 𝐞𝐬𝐭á disponível na 𝗔𝗣𝗣𝗟𝗘 𝗦𝗧𝗢𝗥𝗘 e no 𝗚𝗢𝗢𝗚𝗟𝗘 𝗣𝗟𝗔𝗬 podendo ser localizado digitando 𝗧𝗡𝗠𝟴 ou 𝗪𝗲𝘀𝗹𝗲𝘆 𝗔𝗻𝗱𝗿𝗮𝗱𝗲. O aplicativo foi ainda licenciado pelas AJCC (American Joint Comitee on Cancer) que é o órgão máximo de definição e criação do TNM bem como pelo Colégio Americano de Cirurgiões.

Acesso ao APP na Aplle Store:

O aplicativo já teve várias citações em congressos médicos em todo o mundo e também citações no site e eventos da maior sociedade de oncologia do mundo que é a ASCO: American Society of Clinical Oncology (http://www.ascopost.com/issues/june-25-2018/ajcc-breast-cancer-staging-system-more-clinically-relevant/).

O que faz o câncer estar em um estadio ou outro?

Duas coisas vão determinar a variação do estadiamento ao diagnóstico:

– O tamanho tumoral/comprometimento de gânglios: fator que se correlaciona com tempo até se descobrir o câncer. Logo, é importante fazer os exames preventivos indicados de acordo aidade para cada paciente com a finalidade de tentar descobrir o quanto antes um eventual tumor maligno.

– A agressividade tumoral – correspondendo à capacidade intrínseca do tumor em se replicar e em produzir metástase ainda que o tumor seja de pequeno tamanho. Para saber mais sobre agressividade tumoral veja o texto sobre os Tipo de Câncer de Mama (http://drwesleyandrade.com.br/quais-sao-os-tipos-de-cancer-de-mama/)

Em linhas gerais um tumor começa no estádio 0, passa para o I, depois para o II, segue para o III e por último passa para o estádio IV com metástases sistêmicas.

No entanto, alguns tumores de aspecto biológico muito agressivo apresentam a capacidade de apresentar metástases bem precoce, driblando a ordem lógica relatada acima. Como exemplo, começaria no estádio I e poderia passar para um estádio 4 sem passar pelas fases antecedentes.

As chances de cura variam para cada estadiamento?

Sim, como disse no início, o estadiamento corresponde ao grau de comprometimento tumoral global do organismo. A principal utilidade do estadiamento é  prever a chance de cura X risco de morte do paciente. De acordo a este risco que o tratamento sistêmico (quimioterapia e/ou hormonioterapia) é gerenciado. No geral, paciente de baixo risco podem não precisar de quimioterapia e, na face oposta, pacientes de alto risco poderão precisar de quimioterapia.

É possível o câncer passar de um estadio para outro?

Sim, como dito anteriormente, o estadiamento é feito em um determinado momento, é uma foto do grau de comprometimento corporal pelo tumor em um momento específico.

Se nada for feito de tratamento este tumor vai continuar crescendo podendo se espalhar para outros locais do corpo. Logo, o estadiamento vai mudando à medida que o tumor vai crescendo e o grau de comprometimento do corpo vai aumentando. A este processo damos o nome de evolução natural da doença, ou seja, é como o câncer se comportaria em condições em que nenhum tratamento fosse efetuado.

Mesmo para os pacientes que realizaram o tratamento corretamente, as metástases poderão ocorrer mesmo após vários anos do diagnóstico da doença inicial. O racional para isto é que, na época do diagnóstico, células tumorais caíram na corrente sanguínea e se espalharam pelo corpo, mas ficaram adormecidas em um determinado órgão e desenvolveram resistência aos tratamentos de quimioterapia e/ou hormonioterapia. Em um determinado momento, por fatores ainda não muito bem entendidos, estas células acordam e começam a se multiplicar levando ao surgimento de “tumores filhos” em qualquer parte do corpo que são as metástases. 

Gostou da matéria? Visite nossa página no FacebookInstagram e em nosso Site e confira todas as nossas postagens.